movimento_natura.blog

Archive for the ‘consumo consciente’ Category

Dia da Terra

Posted on: abril 22, 2008

Escrevo neste e em outro blog, e hoje tenho a missão de postar sobre o mesmo assunto nos dois, que obviamente possuem públicos diferentes. Geralmente quando isso acontece, faço dois textos distintos, mas hoje, por falta de tempo e excesso de cansaço, parti para o bom, simples e prático. O post publicado no BlogConsultoria, vou replicar aqui. Se não, tenho certeza que vocês passarão a duvidar de alguém ‘trapo’ como eu, que passa 18 hs/dia em frente ao computador, escrevendo sobre qualidde de vida. Bom, tem videozinhos a mais, pra não dizer que é 100% réplica 🙂

________________________________________________________________
Hoje, dia 22 de abril é o Dia da Terra, que diga-se de passagem, deveria ser lembrado todos os dias. Afinal, ela nos abriga, nos alimenta, além de nos oferecer recursos essenciais para a nossa sobrevivência. Mas a nossa relação com a Terra está um tanto desequilibrada, porque recebemos dela muitos benefícios, mas em troca exploramos demasiadamente seus recursos naturais, geramos muito lixo, poluímos sem qualquer controle e vivemos em uma cultura de excessos e desperdícios.

O Dia da Terra foi instituído em 1970, por um senador norte-americano em protesto contra a poluição, e a partir de 1990, passou a ser celebrado mundialmente. De lá para cá, a situação só piorou, aumentando cada vez mais o desequilíbrio da relação homem x Terra. Parece que ninguém se lembra que uma vez os recursos esgotados, não temos como repô-los. Já pensou o que pode acontecer às gerações futuras? Nosos filhos, netos e bisnetos?
Sim, há muito o que ser feito pelos governantes e empresas, a consciência deve ser global, mas devemos agir localmente, começando por nossas casas.

O que podemos fazer?
Lembra do conceito dos 3 Rs? Isso mesmo, mantenha ele sempre em mente, pois ele pode ser aplicado para todas as nossas atitudes e escolhas do dia-a-dia. Outras dicas importantes são:

CONSUMO CONSCIENTE:
Dê preferência a produtos com menos embalagens e de empresas que possuam responsabilidade sócio-ambiental. Use a sua criatividade para comprar cada vez menos, reutilizando o que você já possui.

REDUZA SUA EMISSÃO DE POLUENTES
Faça uso de transportes alternativos ou públicos sempre que possível, substituindo o carro. Procure conhecer o destino do seu lixo, devidamente separado, encaminhando-o à cooperativas de reciclagem. Use sacolas retornáveis e cuidado especial com o descarte do óleo de cozinha, pilhas e qualquer produto eletrônico, como por exemplo celulares, computadores e seus componentes.

NÃO DESPERDICE OS RECURSOS NATURAIS
De olho em tudo que gasta energia à toa, como carregadores e aparelhos eletro-eletrônicos em “stand-by” que ficam ligados direto na tomada, “roubando” energia enquanto não estam em uso, e utilize a água com inteligência. Lembre-se por exemplo que dá para escovar os dentes com um copo d’água sem ter que deixar a torneira aberta e nada de banhos longos. Eu me ensabôo com o chuveiro desligado já faz algum tempo!

Pode ter certeza que a mudança dos seus hábitos cotidianos fazem muita diferença, mesmo ao final de apenas um mês. Imagine então ao longo de um ano…
Não esqueça também de levar a consciência ambiental para a sua comunidade, amigos e familiares, informando-os e dando o seu exemplo.

A Terra agradece!

Este artigo faz parte da blogagem coletiva pelo Dia da Terra, uma iniciativa do Faça A Sua Parte.
Anúncios

Ok, todo mundo já viu, mas eu não resisto… publico também!

Clipe do Jack Johnson para divulgar a importância do conceito dos 3 Rs. Pena que não é oficial e não tem nada além de fotos estáticas, mas a música é fantástica! Pra botar a criançada cantando e dançando, e ensinar os pequenos desde cedo a importância de REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR. Dê um play e pratique uma atividade com eles que exemplifique os 3 Rs.

Tree is a magic number!

Muito legal todo mundo participando e fazendo linkeria na blogagem coletiva pelo Dia Mundial da Água. Particpei aqui no movimento_natura.blog e também no blog que escrevo às Consultoras Natura, o Blog Consultoria.

Olha todo mundo que blogou dia 22/03/2008:

Queria ter avisado antes aqui, mas não consegui: hoje tem blogagem coletiva pelo Dia Mundial da Água, iniciativa do Faça a sua Parte e, e esta postagem faz parte do movimento, que tomara, ganhe força e voz também através dos blogs.

Instituído pela ONU em 1992, o Dia Mundial da Água visa chamar atenção para esta questão e buscar soluções para o problema. O tema para o ano de 2008 é o Saneamento Básico, um problema que atinge 2,6 bilhões de pessoas no mundo e afeta diretamente a saúde da água. e consequentemente, das pessoas.

Então vamos tratar de sair do básico, pois todo mundo fala sobre a possível falta de água no futuro, enquanto 1,5 bilhão de pessoas no mundo já não têm acesso à água tratada. De acordo com o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, uma criança morre a cada 20 segundos por condições inadequadas de saneamento.
É só dar uma circulada pela web para achar alguns números que assustam.

A impressão que temos de que existe água em abundância no planeta talvez seja a maior armadilha para prosseguirmos com a cultura dominante de que a água é um recurso ilimitado. Não é: de toda a água existente no planeta, apenas 0,007% é própria para o consumo industrial, agrícola e doméstico.
Esse número assusta mais ainda ao saber que desses 0,007% de água potável disponível, boa parte está sendo contaminada por resíduos puluentes diversos e principalmente por esgoto. Sobra pouca água limpa para abastecer igualmente a população mundial que atinge a marca de 6 bilhões de habitantes.

Aumento do Consumo
O desperdício, a poluição e pricipalmente o aumento exponencial da população mundial, estimada em 8 bilhões de habitantes para o ano de 2025, são os fatores críticos que elevam ano a ano o consumo de água e faz dela o recurso natural mais estratégico de qualquer país do mundo.
De acordo com a ONU, o uso da água triplicou de 1950 para cá. Para o futuro, estima-se que nos próximos 20 anos o homem vai usar 40% a mais de água do que usa agora.
O que pouca gente se dá conta é de que os problemas relacionados à água estão mais ligados a má administração do recurso do que propriamente da escassez natural.

Água suja
O Brasil está em vantagem, detndo 11,6% do total de água doce do planeta e 53% do total da América do Sul. No entanto, além do volume de água estar muito mal distribuído no país, ainda sofremos com o disperdício doméstico e agrícola (que possui um grande potencial de redução) e pricipalmente com a falta de infra-estrutura de saneamento básico, já que hoje vergonhosos 90% do esgoto produzido no país é despejado em rios, lagos e mares sem nenhum tratamento.
Segundo a Organização das Nações Unidas – ONU, 50% da taxa de doenças e morte nos países em desenvolvimento ocorrem por falta de água ou pela sua contaminação.

O que você pode fazer à respeito

  1. REDUZIR/ECONOMIZAR
  2. Fazer sua parte em NÃO POLUIR e DENUNCIAR quem polui
  3. CONSCIENTIZAR as pessoas na sua comunidade e dar o EXEMPLO

Tem muita coisa que pode ser feita dentro dos nossos hábitos diários de consumo de água:

dicas básicas e pra lá de conhecidas no Planeta Sustentável;
– um fórum riquíssimo de informações sobre o reuso da água no Instituto Akatu;
– um site totalmente dedicado ao Saneamento Básico para se informar e poder atuar com cidadania cobrando maiores investimentos de infra-estrutura pelo governo;

Lembre-se que a água possui um ciclo de vida, e o volume total da água na Terra mantém-se constante, variando ao longo do tempo a sua distribuição por fases. Se dividirmos a quantidade de água potável pelo número de pessoas existentes no mundo, daria somente 2 litros para cada pessoa por toda a vida.

Pedimos reflexão e ação!

É curioso como mudanças de profunda representatividade podem ser encaradas de forma tão simplista. Quando os novos sabonetes Natura Ekos foram relançados, logo comuniquei aos meus clientes: houve mudança na fórmula, nas embalagens, no tamanho da unidade e lançamentos de novos sabonetes e kits. Mas essa é a percepção mais superficial das mudanças, os motivos e fatores que as envolvem são bem mais profundos e partiram da eterna preocupação da Natura em preservar o planeta. Meus esforços não são poucos em comunicar isso aos meus clientes. A percepção natural e superficial da mudança é que os sabonetes ficaram mais cheirosos, mais cremosos e hidratantes. Mas será que eles se lembram e se importam dos reias motivos para que os sabonetes tenham mudado? Como consumidores conscientes, deveriam.

A HISTÓRIA
A Linha Natura Ekos, desde o seu lançamento em 2000, tinha a proposta de usar a diversidade brasileira como matéria-prima para seus produtos, comprando ativos como castanha, buriti e andiroba de comunidades locais que passaram a extraí-los de forma sustentável.
Depois, iniciou-se um movimento na empresa para trocar os componetes minerais dos produtos, derivados do petróleo, por substitutos 100% vegetais, chamado pela Natura de “vegetalização”. Assim, em 2003, todos os sabonetes Natura ganharam base vegetal.

OS MOTIVOS PROFUNDOS
A novidade é que agora, TODOS os sabonetes Natura serão produzidos na sua mais nova fábrica: a Unidade Industrial Benevides, em Belém, Pará. O oleína de palma, matéria-prima para a massa base dos sabonetes, que hoje é comprada hoje de uma empresa privada, passa a ser produzida na nova fábrica a partir de 2008. Agricultores da região estão se preparando para serem fornecedores diretos desta matéria-prima renovável e formar uma cadeia de fornecedores para uma produção sem agredir o meio ambiente, além de incentivar a conservação das espécies nativas da região. Estima-se que em 5 anos, 2 mil famílias de pequenos agricultores se beneficiarão do valor comercial da palma.

A fábrica de sabonetes em Benevides é baseada nos três pilares da sustentabilidade:
RESPONSABILIDADE SOCIAL, ECONÔMICA E AMBIENTAL.

OS SABONETES
Muito coloridos e cheirosos, conquistam pelos seus elementos multisensoriais. Cores e cheiros da natureza, sementes esfoliantes e uma espuma deliciosamente cremosa.

Sabonete feito a mãos.
Mãos que colhem.
Mãos que fabricam.
Mãos que usam.
Mãos que, juntas,
constróem uma história

Encontrei um cheiro que não consegui definir direito ainda. Um cheiro confortável, ambarado, mas ao mesmo tempo doce, sem ser enjoativo, com um toque fresco, sei lá… CHEIRO DE CUPUAÇU! Estou tão apaixonada pelo cheiro dos produtos Ekos Cupuaçu que fiquei curiosa e fui pesquisar sobre esta fruta, o que aumentou mais ainda meu encantadamento.


crédito imagens:

flor de cupuaçu – Suz Profeta (Copenhagen, Dinamarca); fruto cupuaçu – Sandra Turbe (Brasil); menino – Next of Kin; polpa cupuaçu – Gilberto Santa Rosa (Rio de Janeiro, Brasil)

Agora novidade mesmo pra mim foi o Cupulate, que possui o mesmo gosto e textura do chololate, mas é feito de cupuaçu ao invés de cacau. Seu parentesco com o cacau é próximo: ambos pertencem ao gênero Theobroma, palavra de origem grega que quer dizer manjar dos deuses (nossa, adorei isso!) e de suas gordurosas amêndoas extrai-se uma pasta semelhante àquela com que se produz o chocolate e a manteiga de cacau.

O cupuaçu também é muito apreciado na composição de produtos cosméticos por suas propriedades emolientes confortáveis para a pele. Depois de retirada a sua polpa, coloca-se as sementes para secar ao sol e delas retira-se um óleo que rapidamente se cristaliza em uma mateiga nutritiva que é a base para os produtos Natura Ekos Cupuaçu.

O melhor de tudo isso é que por todas as qualidades do cupuaçu, sua produção comercial está beneficiando muitas comunidades de cultivo pelo aumento no interesse do mercado internacional em produtos naturais e amazônicos. Um ótimo exemplo é o projeto RECA (Reflorestamento Econômico Consorciado e Adensado) com sede em Nova Califórnia, divisa entre Acre e Rondônia, criado por agricultores sulistas que mudaram-se para a região em busca de novas terras e melhores condições de vida e passaram a cultivar o cupuaçu, a castanha e a pupunha, típicas da região.

Vocês percebem que aí se inicia uma cadeia que pode possuir um equilíbrio perfeito?

A comunidade extrai de maneira sustentável os frutos da terra e se beneficia do seu valor comercial. As empresas compram os ativos e matérias-primas para seus produtos e apóiam projetos em benefício da terra, da comunidade e sustentabilidade. Os consumidores dão preferência a adquirirem produtos de empresas com atitude ecológica e sustentável, o que faz com que o ciclo se feche. É o mundo ideal, não?

Pensem nisso… e assistam a esses dois vídeos maravilhosos, o primeiro, sobre o cupuaçu e o segundo para saber mais detalhes sobre o projeto RECA.


blogando

Posted on: maio 26, 2007

Eu estou me esforçando em continuar blogando com a mesma assiduidade de antes. Até porque posso considerar este blog um blog de sucesso, que tem em média 400 visitas por dia, e alguns leitores fiéis, que participam e comentam, portanto não posso me dar ao luxo de decepcioná-los. Eu mesma me surpreendo de vez em quando com a repercussão deste blog. Ele já esteve em discussões acadêmicas de almoços produtivos do mundo digital, já foi algumas vezes citado em palestras sobre marketing e internet, já despertou o interesse de altos executivos de marketing de outras marcas de cosméticos, enfim, realmente surpreendeu a minha expectativa. Minha expectativa por exemplo no que tange meu desejo de apenas ter neste blog um repositório de informações legais sobre bem estar, higiene e beleza e sobretudo tentando trazer um pouco de consciência sobre o consumo dos dias de hoje e o papel que ele desempenha refletindo diretamente no quadro geral de saúde do nosso planeta.

As ferramentas que o WordPress oferece em relação às estatísticas de acesso do blog, de referenciar as buscas feitas pelo usário pra ter chegado ao meu blog, os artigos que foram mais vistos nele e por fim aonde os usuários clicaram são super completas a ponto de eu, após 5 meses mantendo esse blog, consigo traçar uma idéia da minha audiência aqui.
Revelo de boca cheia que num blog com um objetivo central de tratar de temas que giram em torno do ‘bem estar bem’, conceito muito bem concebido e praticado pela empresa de cosméticos Natura, tem o post “Como Reciclar Papel” como o vencedor disparado de acessos. Definitivamente isso deve ser um bom sinal.

Digo isso porque acabo de ler um artigo sobre blogs corporativos que me deu uma coceirinha.
Uma coceirinha para esclarecer alguns pontos sobre este blog. Recebo alguns comentários nos posts que me fazem refletir se as pessoas entenderam que:

1. este não é um blog corporativo.

    Não sou correspondente da Natura e muito menos tento representá-los em meu blog. Apenas admiro a postura de uma empresa que é preocupada com seu negócio sim, na venda de produtos de qualidade, mas sem esquecer o respeito pelas pessoas e a sustentabilidade do planeta. Penso que à medida que damos preferência pela compra de produtos de empresas com tal postura, consumindo com consciência, indiretamente influenciamos outras empresas a fazer o mesmo. Essa é minha maior motivação em blogar sobre os produtos da Natura e promover o conceito ‘bem estar bem’. Minha decisão em criar e manter este blog partiu do meu livre arbítrio e prazer em fazer minha parte por um mundo melhor.

    2. o objeto central é disseminar o bem estar bem.

      Muito antes do intuito de promover/vender produtos da Natura (atividade que minha mãe acabou assumindo pela minha falta de tempo), este blog destina-se à informação. Desde o começo meu objetivo foi disseminar coisas que agreguem o bem estar das pessoas, a importância de nos sentir bem com nós mesmos, de estar bem com as outras pessoas, com a vida, com o mundo, enfim, com tudo que nos rodeia. Mantendo essa cadeia em equilíbrio.

      Recebo muitos comentários sobre a recomendação de produtos, às vezes pessoas com problemas de pele pedindo ajuda, e fico frustrada em não poder ajudar na maior parte das vezes… por causa de uma grande vontade, me formei em publicidade e me especializei em mídias digitais, não sou dermatologista e resolver problemas de saúde online está longe de ser uma coisa plausível… tenho respondido tais comentários encaminhando essas pessoas ao dermatologista, mas ainda me pergunto se essa é a melhor saída pela tangente…
      Voltando ao objeto deste blog, os posts podem parecer bem plurais aos olhos alheios, mas se todos eles fosse colocados em uma grande caixa com uma etiqueta onde está escrito “bem estar bem” estes mesmos olhos alheios logo perceberam que apesar de variadas, as pautas propostas para os posts cabem todas nesta caixa!

      3. em beta não, em alpha!

        Agora tudo na web é em beta, já reparou? Desculpa pra fazer a lição de casa pela metade? Não é bem isso… o intuito é afinar e aprimorar o que é oferecido em plataforma online de acordo com a própria utilização do usuário, assim atendendo-o melhor no famoso on-demand. Mas queria mais colaboraçãoe cometários! Minha maior vontade é ter colaboradores, poder chamar um monte de gente bacana para contribuir com artigos, dicas, cada colaborador chamado especialmente para os temas específicos discutidos como metareciclagem (alguém sabe o que é? Falarei em breve…), Yoga (a Michele do Prado já colaborou!), beleza etc etc. Vamos entrar em alpha together!

        Ufa!
        Acho que isso foi mais um desafo do que um esclarecimento.
        Anywayz, I feel good now 😉

        Beijos à todos os meus leitores.
        E por favor, qualquer coisa, estamos aí 🙂


        este blog está abandonado por conta do intenso trabalho em meus outros blogs:

        www.blogconsultoria.natura.net

        www.eupossocuidardemim.com.br


        blog stats

        • 330,477 acessos

        aqui, acolá

        RSS feed dos posts meu Technorati profile del.icio.us bookmarks
        View Luciana Soldi Bullara's profile on LinkedIn

        movimentos…

        Add to Technorati Favorites Adicionar aos Favoritos BlogBlogs

        del.icio.us

        na gaveta

        flickr photos


        Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
        outubro 2017
        S T Q Q S S D
        « dez    
         1
        2345678
        9101112131415
        16171819202122
        23242526272829
        3031